CANDIDS: Katherine Langford visita o estúdio do ‘Good Morning America’
24
05
18
postado por Mila

Katherine Langford foi fotografada por paparazzis enquanto visitava o estúdio do programa Good Morning America em Manhattan, na Cidade de Nova York, nesta quinta-feira, 24/05, após gravar uma participação no talk show ao lado de parte do elenco da série ‘13 Reasons Why‘.

A atriz, que atendeu os fãs que os aguardavam na portaria do estúdio e distribuiu sorrisos, usava um look total Givenchy composto por uma saia midi branca, uma blusa preta e um par de sandálias de salto alto pretas.

As fotos em alta qualidade já estão em nossa galeria:

FOTOS DE PAPPARAZZI | CANDIDS > 2018 > 24.05 @ CHEGANDO AO ESTÚDIO DO ‘GOOD MORNING AMERICA’ EM NOVA YORK, EUA

[ATUALIZAÇÃO — 13/07/2018]


Confira um novo vídeo de Katherine e Christian Navarro deixando o estúdio do GMA e cumprimentando os fãs, divulgado por fotógrafos no Youtube:

Katherine Langford comparece ao ‘Good Morning America’
24
05
18
postado por Mila

Nesta quinta-feira, 24/05, Katherine Langford, Alisha Boe, Ross Butler, Christian Navarro e Devin Druid compareceram ao programa matinal Good Morning America para divulgar a segunda temporada de ‘13 Reasons Why‘ e falar sobre o papel de seus personagens na mesma.

Katherine, que foi produzida por sua stylist Molly Dickson, pelo cabeleireiro Harry Josh e a maquiadora Gita Bass, usou uma saia midi branca e uma blusa preta assinadas pela grife francesa Givenchy.

Confira as fotos e vídeos da participação de Katherine e parte do elenco de ‘13 Reasons Why‘ abaixo:

PROGRAMAS DE TV & RÁDIO | TV & RADIO APPEARANCES > 2018 > 24.05 @ NO ‘GOOD MORNING AMERICA’ EM NOVA IORQUE, EUA

PROGRAMAS DE TV & RÁDIO | TV & RADIO APPEARANCES > BASTIDORES > 2018 > 24.05 @ NO ‘GOOD MORNING AMERICA’ EM NOVA IORQUE, EUA

CAPTURAS | SCREENCAPTURES > ENTREVISTAS > 2018 > MAIO – GOOD MORNING AMERICA #2

CAPTURAS | SCREENCAPTURES > ENTREVISTAS > 2018 > MAIO – GMA: O ELENCO DE ’13 REASONS WHY’ DIVIDE SUAS LEMBRANÇAS FAVORITAS DO SET

CAPTURAS | SCREENCAPTURES > ENTREVISTAS > 2018 > MAIO – GMA: O ELENCO DE ’13 REASONS WHY’ DIZ QUE CONSELHO DARIAM A SI MESMOS NA ADOLESCÊNCIA

 









ENTREVISTA: Katherine Langford para a L’Officiel Paris
24
05
18
postado por Mila

Katherine Langford concedeu uma entrevista exclusiva para a edição de junho da revista L’Officiel Paris. A atriz falou sobre beleza, ‘13 Reasons Why‘, ‘Com Amor, Simon‘, sua carreira, música e muito mais. Confira a tradução, feita por nossa equipe, a seguir:

COM AMOR, KATHERINE
A revelação da série fenômeno “13 Reasons Why”, cuja segunda temporada já está disponível na Netflix, é um dos mais promissores novos rostos de Hollywood. Encontramos Katherine Langford em Los Angeles, onde a jovem australiana se acostuma ao novo status de estrela.

Com sua angustiante interpretação da personagem Hannah Baker, uma adolescente levada ao suicídio, Katherine Langford tocou uma geração inteira e foi indicada como Melhor Atriz no Globo de Ouro. Nada mal para uma iniciante! Características? Uma beleza natural australiana de 22 anos, uma pele boa ligada a um talento louco, um senso inato de elegância clássica e uma falta de pretensão das mais sensuais. Inicialmente, porém, essa filha de médicos que também encontraremos no dia 27 de junho em cartaz com o simpático ‘Com Amor, Simon‘, de Greg Berlanti – um filme divertido sobre adolescentes gays – não estava predestinada para o show business. Sua estrela da sorte alcançou-a.

A série ’13 Reasons Why’, que chegou às manchetes com seu aspecto controverso, é também, e acima de tudo, seu primeiro papel importante!
Katherine Langford: É incrível ter tido a chance de começar com o papel de Hannah. Mas precisamente porque os temas da série eram tão intensos, não percebi imediatamente sua amplitude. Eu estava focada em querer me sair bem, me preparar para minhas cenas “difíceis”, eu não entendi imediatamente o impacto social que a série teria.

Um ano e meio depois, você é uma das estrelas em ascensão de Hollywood, seguida por mais de 8 milhões de pessoas no Instagram…
Katherine Langford: Instagram, eu não me importava. Eu não queria fazer esse trabalho para ficar famosa. Foi Selena Gomez, produtora de ‘13 Reasons Why‘, que me convenceu a ser acessível nas redes sociais, a fim de estabelecer uma ligação com os jovens em sofrimento que se enxergaram em Hannah. Ela fez bem. Hoje, muitas escolas usam nossa série para educar os alunos e seus pais sobre o suicídio. É muito comovente.

Dizem que um show da Lady Gaga teria desencadeado sua vocação, certo?
Katherine Langford: Ninguém na minha família está no show business. Como eu era capitã de uma equipe de natação na escola, se eu tivesse que ter uma vocação, deveria ter sido o esporte. Ou a saúde, ou um emprego de serviço público. Por outro lado, eu sempre gostei de música, aos 9 anos comecei a ter aulas de canto, e foi quando assisti um show da Lady Gaga aos 16 anos em Perth, a cidade onde eu cresci, que eu tive uma revelação! Na mesma noite, eu comecei a praticar piano sozinha.

Você falou imediatamente com seus pais sobre o seu desejo de atuar?
Katherine Langford: Eu escondi até os 19 anos! Assim que soube que queria ser atriz, fiz muitos trabalhos secretamente para pagar minhas aulas de comédia, devorei as peças de teatro, mas falhei várias vezes em ingressar em uma escola de arte dramática; eu perdi duas oportunidades de ser escalada para novos trabalhos, em Londres e em Los Angeles, todas as minhas economias foram usadas lá… E então meu agente me contou sobre ‘13 Reasons Why‘, baseada no romance de Jay Asher. Eu imediatamente gravei uma fita para enviar minha audição!

O sucesso de ’13 Reasons Why’ transformou sua vida?
Katherine Langford: Eu sou a mesma, uma garota que ainda tem muito a aprender. O sucesso, você sente através dos olhos dos outros. Mas eu vivo um conto de fadas. Como me ver indicada ao Globo de Ouro como Melhor Atriz em Uma Série de Drama ao lado de Claire Foy, de The Crown, meu ídolo. Tudo isso dentro de um vestido que Prada faz para mim sob medida, um vestido preto, uma vez que esta noite fazia parte do movimento Time’s Up. Foi extraordinário.

Você faz parte do movimento Time’s Up?
Katherine Langford: Sim. Eu havia sido convidada pelo Time’s Up, como todas as atrizes indicadas, para uma reunião do grupo e me vi em uma sala com todas as minhas heroínas, de Natalie Portman e Michelle Williams a Reese Witherspoon: Eu estava tão emocionada que comecei a chorar!

Você está morando em Los Angeles agora?
Katherine Langford: Neste momento, moro na minha mala! (Risos) Ainda que trabalhar em Los Angeles não me faça mal.

Onde estão seus endereços favoritos de compras ou beleza?
Katherine Langford: (Ela pensa) É bobo, mas eu hesito em dar os nomes dos lugares que eu amo. Essa é uma das desvantagens do reconhecimento.

Para você, a beleza é o que?
Katherine Langford: As pessoas bonitas “por dentro” são as mais magnéticas e as mais sedutoras. Uma pessoa íntegra, correndo o risco de parecer clichê, é a beleza. Eu não sou daquelas que recuam perante a diversão, brincar com a aparência é ótimo, mas sem alma, definitivamente não há beleza. Quanto ao bem-estar, aos meus olhos, é acima de tudo uma questão de mente.

Você se tornou um ícone da beleza; você é etérea e, ao mesmo tempo, parece acessível.
Katherine Langford: Só posso agradecer aos meus pais, não é mérito meu! (Risos) E também ao meu maquiador, Stephen Sollitto, e meu cabeleireiro, Christian Wood. Eles são os que me preparam para cada evento ou promoção, são eles que me embelezam.

Você ainda nada?
Katherine Langford: Dos meus anos de natação, eu mantive um grande senso de disciplina. Meu verdadeiro método de beleza, se eu tiver um, é o descanso. Durma ou até mesmo se desconecte de tudo. Quando eu gravo ‘13 Reasons Why‘, preciso, por exemplo, de calma.

Você estava falando sobre o seu vestido do Globo de Ouro… Quais são seus estilistas favoritos?
Katherine Langford: Além da Prada, sou muito fã do que Sarah Burton faz na Alexander McQueen, ou do trabalho de Riccardo Tisci, que agora está na Burberry. Eu também estou começando a amar a Gucci mais e mais! E depois, claro, Chanel, Dior. E Givenchy, que eu adoro!

Você realmente entende disso!
Katherine Langford: (Risos) Eu devo isso à minha fabulosa stylist, Molly Dickson, que tem gostos incríveis e conhece bem os meus. Ela me fez descobrir a moda, onde tenho amigos hoje, o que é incrível! Eu tenho um respeito sem limites pela moda, eu até acho esse universo subestimado. Fotografar para a capa de uma revista tão mítica quanto a sua: é fan-tás-ti-co. Posar, me transformar, brincar com o figurino, eu adoro isso.

Em breve encontraremos você no cinema em ‘Com Amor, Simon’ de Greg Berlanti.
Katherine Langford: Emendar um novo projeto depois de 13 Reasons foi complicado, mas o roteiro de ‘Com Amor, Simon‘, baseado em um romance de Becky Albertalli, me pegou totalmente de surpresa e me encantou. Trata da história de um adolescente que tem um segredo: ninguém sabe que ele é gay, e ele não sabe a identidade da paixão secreta com quem ele se comunica pela internet… Esta é a primeira vez que um grande estúdio, a Fox, apóia uma história homossexual com adolescentes, e estamos em 2018! Eu interpreto Leah, a melhor amiga [de Simon], uma personagem que também quebra vários estereótipos. Eu conheci pessoas que me disseram que esse filme mudou suas vidas. Tenho muito orgulho de fazer parte de projetos que defendem, acima de tudo, a empatia.

Quais são seus outros projetos cinematográficos?
Katherine Langford: Ficção científica, um dos meus gêneros favoritos: Eu acabei de filmar ‘Spontaneous‘, do Brian Duffield, em Vancouver, no qual estudantes do ensino médio estão passando por uma epidemia de combustão espontânea!

Haverá uma terceira temporada de ’13 Reasons Why’?
Katherine Langford: Eu não posso dizer nada! Já é tão lisonjeiro ter podido gravar uma segunda temporada…

E seu primeiro amor: a música?
Katherine Langford: Eu estou trabalhando nisso! Como tudo que eu faço, tem que ser baseado no mérito: se eu estou realmente feliz com o que estou fazendo e as pessoas gostam então sim, definitivamente, eu irei fazer um álbum!

Confira os vídeos de Katherine Langford nos bastidores de sua entrevista e de seu ensaio fotográfico para a L’Officiel Paris divulgados pela revista:


Os scans da revista, as fotos do ensaio de Katherine realizado por Daria Kobayashi Ritch e as capturas de ambos os vídeos já estão em nossa galeria:

REVISTAS & JORNAIS | SCANS > 2018 > JUNHO – L’OFFICIEL PARIS


ENSAIOS FOTOGRÁFICOS | PHOTOSHOOTS & PORTRAITS > 2018 > L’OFFICIEL PARIS POR DARIA KOBAYASHI RITCH

CAPTURAS | SCREENCAPTURES > ENTREVISTAS > 2018 > MAIO – L’OFFICIEL PARIS

CAPTURAS | SCREENCAPTURES > PHOTOSHOOTS > 2018 > L’OFFICIEL PARIS

Fonte: L’Officiel Paris.
Tradução & Adaptação: Katherine Langford Brasil.
Não copie e/ou reproduza sem dar os devidos créditos!

ENTREVISTA: Katherine Langford para a The Hollywood Reporter
22
05
18
postado por Mila

A Estrela de ’13 Reasons Why’, Katherine Langford: A 2ª Temporada “Pode Ter Sido o Último Capítulo de Hannah”
A atriz fala com a THR sobre o que ela espera que os espectadores tirem da segunda temporada do drama da Netflix e o que está por vir.

[Esta matéria contém spoilers do final da segunda temporada de 13 Reasons Why.]

Até a estrela de ‘13 Reasons Why‘ Katherine Langford sabe que a história que a série da Netflix contou em sua primeira temporada, dos colegas de classe da adolescente Hannah Baker descobrindo fitas cassetes que ela deixou para trás explicando porque tinha se matado, estava fechada. Mas enquanto a primeira temporada do drama da Netflix contou a história de Hannah, a segunda temporada foca em seus amigos e familiares e em seus conflitos antes e depois da sua morte.

Na primeira temporada nós realmente contamos a história de Hannah na íntegra,” ela diz ao The Hollywood Reporter. “Voltar para esta temporada foi importante… para continuar o enredo para outros personagens que foram realmente importantes para a história e que vimos na primeira temporada.

A segunda temporada, em transmissão na Netflix, mostra Hannah em novas cenas de flashback, mas também como uma figura que aparece e interage com Clay. Mas Langford diz que esta é uma versão diferente de sua personagem, em comparação com a primeira temporada.

Ela só é vista através ou filtrada através da lente dos olhos de outras pessoas nesta temporada,” diz ela sobre o arco desafiador. “Eu acho que a personagem Hannah e particularmente seu papel nesta temporada foi algo que foi desenvolvido ao longo das filmagens. Demorou um tempinho para realmente entendermos qual era o seu papel e por que ela estava lá. Mas, chegando no final, acho que percebemos que seu relacionamento com Clay é muito especial, e é algo com o qual o público realmente se conectou. A presença de Hannah é parte integrante da recuperação de Clay, sobre a qual se trata muito dessa temporada — é a história de Clay e vê-lo como o protagonista também, além de todos os outros personagens.

Após o lançamento da temporada, Langford confirmou sua saída da série nas redes sociais, dizendo que ‘13 Reasons Why‘ “sempre será uma parte especial da minha vida, e independentemente de Hannah estar lá ou não” sobre uma possível terceira temporada. Ela disse que vai se empenhar para continuar a fazer trabalhos que “sejam significativos e tenham um impacto positivo.

Abaixo, Langford discute a maneira como sua personagem foi integrada na segunda temporada, o que ela aprendeu com suas experiências na série e o que ela quer que as pessoas aprendam com Hannah.

Nestas visões de Clay, Hannah está tentando contar mais de sua história ou é apenas o que ele acha que ela quer?
O que me disseram quando estávamos filmando foi que queríamos deixar em aberto para que as pessoas interpretassem Hannah e como elas se sentiam. Mas acho que o que passamos a sentir é que a presença dela é mais — é Clay, é para Clay, e é uma espécie de visão do Clay sobre ela. É a sua interpretação dela. Assim como em qualquer outro momento que você vê Hannah nesta temporada, é sempre através dos olhos de outra pessoa.

Boa parte da segunda temporada se concentra na justaposição de como Hannah lidou com seu estupro e como Jessica está enfrentando o dela. Especialmente agora que tantas vítimas estão apresentando suas histórias graças ao movimento #MeToo, o que você quer que as pessoas tirem das histórias de Hannah e Jessica?
Uma das coisas que mais abordamos nesta temporada em particular é a violência sexual. Nós vemos Jessica passando por sua recuperação. Uma das razões importantes para voltar, e uma das histórias importantes que pudemos cobrir nesta temporada, foi a recuperação de Jessica. Hannah e Jessica foram vítimas de violência sexual. Para Hannah, naquele momento de sua vida, [o estupro] não era algo com o qual ela pudesse conviver e, por isso, acho que foi incrivelmente importante voltar e ver alguém se recuperar disso. No fim das contas, esta é uma série de TV; sempre fomos muito diretos sobre ser uma série de TV e, portanto, entretenimento, mas acho que todo mundo também percebe que obviamente estamos falando de assuntos muito sérios e há algumas responsabilidades que vêm com isso. Eu só espero, na verdade, que… a segunda temporada possa instigar a discussão, e [aprendizado], e, com sorte, ajudará as pessoas que não tinham uma pauta de discussão antes.

O que você acha sobre o fato de que na conclusão deste julgamento, a escola escapa ilesa e Jessica relata Bryce apenas para que ele receba três meses de liberdade condicional? No mundo real, alguém como Harvey Weinstein ainda não está enfrentando quaisquer consequências legais por suas ações alegadas.
Nós não recebemos o roteiro antes do tempo, então nos foram entregues um por um. E lembro-me de quando os lemos, foi definitivamente aquele sentimento de frustração como um membro da audiência, mas também como pessoa e como artista. Acho que foi uma decisão consciente dos escritores e da equipe criativa.

Houve muito feedback para a primeira temporada da série e alegações de que a mesma glorificou o suicídio. Como você lidou com isto? E como você acha que as pessoas irão reagir à segunda temporada?
Como muitas pessoas sabem, a primeira temporada foi meu primeiro trabalho e a interpretação de Hannah Baker foi o primeiro papel que eu tive na carreira. Então, para mim, essa primeira temporada foi muito focada no trabalho, pelo qual sou incrivelmente grata. Tudo o que veio depois foi uma experiência de aprendizado. Existem alguns elementos em fazer parte de uma grande série de TV, com os quais eu descobri que não me sinto confortável. Mas uma coisa que eu acho que é provavelmente o maior privilégio de fazer isso é conhecer os fãs e ouvir [histórias de] pessoas que se identificam com a série e com o seu trabalho em geral, seja em ‘13 Reasons Why‘ ou no [longa-metragem] ‘Com Amor, Simon‘. Mas, dito isso, também acho que infelizmente não consegui conhecer tantos fãs quanto eu gostaria. Nós fomos direto da primeira temporada, depois direto para a divulgação na imprensa, então eu fui direto para ‘Com Amor, Simon‘ e, depois, voltei para a segunda temporada. Obviamente estou interessada em ouvir o que os fãs pensam desta temporada. Mas, mais importante, eu só quero sempre tentar estar disponível, se não fisicamente, então pelo menos na forma de uma plataforma positiva nas redes sociais.

Agora que o processo que os pais de Hannah moveram contra o distrito escolar chegou ao fim, você acha que a história de Hannah acabou?
Foi uma oportunidade tão maravilhosa contar sua história tão intensamente na primeira temporada, e estou muito feliz por ter sido convidada a voltar e por ter participado de uma segunda temporada. Não sei se posso fazer comentários a respeito da terceira temporada. Não sei se haverá uma terceira temporada. Este pode ter sido o último capítulo de Hannah, mas acho que teremos que esperar e ver oficialmente.

O que vem por aí para você?
Eu não sei. Eu não quero que soe clichê, mas eu me sinto muito grata por ter feito parte de ‘13 Reasons Why‘, e a primeira temporada foi algo em que eu realmente consegui me envolver completamente. A segunda temporada foi um desafio por diferentes motivos. Sabe, eu tive que colocar muita confiança no [showrunner-criador] Brian Yorkey e nos escritores e diretores para desenvolver a personagem de Hannah durante as filmagens. Eu tenho ‘Com Amor, Simon‘ nos cinemas no momento, do qual eu tenho tanto orgulho e de que estou ouvindo tantas coisas maravilhosas. Acabei de terminar um filme chamado ‘Spontaneous‘. Mas há muito mais chegando, e muitas coisas nas quais eu estou apenas tirando um tempo para trabalhar nos próximos meses antes de meio que deixar qualquer outra coisa sair. O que eu quis dizer sobre a parte do clichê foi que, tipo, há genuinamente muitas coisas que eu quero fazer, e que estou ansiosa em compartilhar com as pessoas. E eu não posso te dizer quando essas coisas vão ser reveladas, mas estou animada para isso. Desculpe, não quero ser enigmática.

O que você quer que as pessoas aprendam com as experiências de Hannah neste seriado?
Eu sinto que não há uma coisa específica que você possa tirar dessa série. Na última temporada eu sinto que muito do que abordamos foi que a menor das coisas que você pode fazer pode ter o maior dos impactos. Mas no geral, eu acho que da série em si, as pessoas vão tirar coisas diferentes, dependendo de suas próprias experiências pessoais, suas próprias histórias e, em geral, quem elas são e com o que elas se identificam. Tudo o que posso dizer é que poder interpretar Hannah tem sido um enorme privilégio. E mesmo que eu não esteja em uma hipotética terceira temporada, vou continuar me esforçando para fazer trabalhos que sejam significativos e coisas em que eu possa realmente derramar meu coração, como fiz na primeira temporada.

Bem, a mãe de Hannah encontrou sua lista de “razões por que não”, então talvez isso possa trazê-la de volta.
Veremos! Brian Yorkey é incrível e eu gosto muito de trabalhar com ele, então eu sinceramente fico muito empolgada com tudo que ele faz.

A segunda temporada de ‘13 Reasons Why‘ já está sendo transmitida pela Netflix.

Fonte: The Hollywood Reporter.
Tradução & Adaptação: Katherine Langford Brasil.
Não copie e/ou reproduza sem dar os devidos créditos!

ENTREVISTA: Katherine Langford para a Vogue Espanha
22
05
18
postado por Mila

Katherine Langford concedeu uma entrevista exclusiva para a edição de junho da revista VOGUE Espanha. A atriz falou sobre a segunda temporada de ‘13 Reasons Why‘, ‘Com Amor, Simon‘, sua carreira, aspirações, ativismo e muito mais. Confira a tradução, feita por nossa equipe, a seguir:

PRIMEIRO (GRANDE) ASSALTO ÀS TELAS
Rosto revelação do ano graças à ficção juvenil ’13 Reasons Why’, da Netlix, a jovem atriz australiana Katherine Langford assume a fama com espantosa temperança e bom senso.

Tomar café da manhã. Ir ao colégio. Chegar atrasada para a aula de natação. Correr para o terceiro trabalho de meio período da semana. Dormir, e começar tudo de novo. A rotina de Katherine Langford (Perth, 1996) não ficaria no topo do sonho de uma pós-adolescente australiana há apenas dois anos atrás, mas a Netlix estava prestes a mudar o marasmo de sua existência confortável com uma brusca mudança de direção. A jogada de mestre atende pelo nome de ‘13 Reasons Why‘, a série que a gigante do entretenimento lançou na Espanha em 31 de março de 2017, abordando de forma gráfica e direta questões como o bullying, agressões sexuais e suicídio entre a população jovem. Langford interpreta Hannah Baker, uma jovem estudante que, ao contrário de seu alter ego, comete suicídio e deixa 13 fitas cassetes explicando seus motivos e apontando diretamente para as pessoas responsáveis por sua decisão. “Eu comecei a gravar [a série] com apenas 20 anos, com que experiência? Nenhuma!” ela exclama. “Mas esta tem sido a melhor estreia que eu posso pensar para uma jovem atriz como eu por causa da complexidade da minha personagem, senão por todo o aprendizado que me deu sobre como lidar com problemas que, muitas vezes, evitamos e ignoramos completamente.

Recentemente desembarcada em Roma para promover a segunda temporada da série (que estreou em 18 de maio), em que Hannah Baker deixa de ser a narradora para abrir caminho para os 13 envolvidos em seu suicídio, confessa que as expectativas geradas pela renovação da série não excederam seus cálculos. Langford assume a mudança drástica que envolve uma série tão geradora de debates e críticas à educação parental. “O início do primeiro capítulo não é uma primeira cena fictícia, mas uma apresentação real do que vamos abordar nos episódios posteriores. ’13 Reasons Why’ é uma série que fala sobre coisas difíceis e reais e, ao trazê-las à tona, esperamos ajudar os espectadores a falar sobre elas e compartilhá-las com suas famílias e amigos. No começo, achei que era uma abordagem desafiadora, mas os criadores levaram o trabalho de pesquisa tão a sério que eu sempre soube que estava em boas mãos.” A ficção inspirada no romance de Jay Asher, ambientado em uma periferia americana perfeitamente estereotipada, oferece por trás de sua fachada a dura realidade de como os adolescentes se veem desarmados diante de desafios juvenis e os pais muitas vezes preferem camuflar-los ou ignorá-los. “Desde que [a série] estreou na Netlix, comecei a entender o quão necessária era a proposta. Com o tempo, pude conversar com meninos e meninas de todo o mundo com problemas semelhantes, aos quais, de uma forma ou de outra, ajudamos a purgar e confessar seus problemas em suas comunidades. Não foi fácil dar vida à Hannah, e eu sabia que ia carregar uma enorme responsabilidade, mas eu diria que ela me ajudou a ser mais consciente dos problemas com os quais as pessoas da minha idade lutam diariamente, e esse tem sido o melhor presente de todos.

A carreira de Katherine será, no mínimo, promissora, a julgar pela projeção que ela planeja em sua recente filmografia. Pouco antes de terminar a primeira temporada de ‘13 Reasons Why‘, ela começou a filmar o longa ‘Com Amor, Simon‘, de Greg Berlanti. “A oportunidade surgiu para mim, mas implicava praticamente em dobrar minha agenda, entretanto me pareceu ser um filme tão incrível que eu não poderia dizer não.” O filme conta a história de um estudante de 16 anos que, depois de conhecer outro garoto na internet e descobrir que ele também esconde sua homossexualidade, reúne coragem para sair do armário para sua família e amigos. Uma ode à liberdade que já se tornou um fenômeno massivo nos Estados Unidos, e que na Espanha chegará aos cinemas em 22 de junho. “Suponho que minha estréia como atriz condicionou o que me encantará fazer no futuro: projetos com alma, com uma história que se possa simpatizar e que fale de personagens reais, não isentos de conflitos internos e externos,” justifica. Uma reflexão surpreendente para uma intérprete que nem sempre via o cinema como um objetivo a ser alcançado. “Na escola, meu hobbie era a natação até que eu descobri os musicais. Me candidatei para me matricular na Academia de Artes Cênicas de Perth, minha cidade natal, quando terminei o ensino médio. Mas até os 18 anos, não fiz um teste para um papel dramático,” lembra ela. “A conclusão dos diretores de elenco com que me deparei foi clara: eu precisava de mais experiências para construir o que eles chamam de bagagem de vida.

Um diploma em teatro musical, três empregos de meio período e uma incansável concatenação de aulas de teatro foram o antídoto para a falta de experiência que a afligia. Um ano depois, quando vários agentes visitaram sua escola australiana em busca de talentos, Langford não era mais a garotinha Katherine, com certeza. “Pouco depois soube que fui aceita na Academia de Artes Cênicas da Austrália (WAAPA), mas alguns dos agentes que me viram já haviam me pedido para enviar fitas com leituras dramatizadas para que eles pudessem me assistir atuando.” Quando recebeu a primeira luz verde para a ficção que pressupôs seu salto ao estrelato mundial, o método acadêmico foi adiado por razões óbvias.

Além da pura ficção, Langford gosta de música (“comecei a cantar na frente do computador letras de Lady Gaga, que eu adoro, e não descarto fazer algo no futuro“) e assume o feminismo como uma causa internalizada, admirada com o debate que envolveu a indústria da qual ela agora participa. “O Globo de Ouro do ano passado foi minha primeira aparição em um tapete vermelho. Não quero soar orgulhosa, mas foi incrível que tenha coincidido com uma noite em que tantas mulheres que eu admiro e respeito se uniram, não só quando se vestiram de preto, mas para denunciar uma situação de desequilíbrio que afeta o cinema praticamente desde o seu gérmen histórico. Isso não deve ser um modismo, mas sim ser um debate que já não cesse mais no futuro. A estrada é longa, mas o medo não existe mais,” explica. E embora ainda não tenha se aliado a uma causa específica, ela tenta atestar isso em sua pegada nas redes sociais. A cantora Selena Gomez, impulsora e produtora de ‘13 Reasons Why‘, foi a responsável por ela tornar público seu perfil no Instagram, e desde então o slogan #TimesUp não saiu de sua biografia. ““Acho difícil usar as redes sociais com frequência, porque sempre tive muito zelo pela minha privacidade. Mas sei que me deram uma voz e tenho uma ideia muito clara sobre como quero usá-la no futuro,” diz. Isso também inclui o padrão de decisões ao aceitar projetos futuros, entre os quais figura o lançamento da ficção científica ‘Spontaneous‘, de Brian Duffield. “Sinto-me um tanto pretensiosa, apontando um punhado de pessoas com quem gostaria de trabalhar, mas sei que teria muita sorte se pudesse trabalhar com Sofia Coppola. Sou apaixonada por sua visão do universo feminino e seu modo de dirigir, mas, na verdade, sei que minha carreira vai tomando forma em seu devido tempo, e não quero que minhas expectativas me frustrem. Pretendo ler cada um dos roteiros que vêm até mim e analisar cada projeto separadamente, porque a principal coisa a que aspiro nesta vida é a qualidade como resultado do meu trabalho. E não quero que nada me distraia disso.

Os Scans da revista já estão disponíveis em nossa galeria:

REVISTAS & JORNAIS | SCANS > 2018 > JUNHO – VOGUE ESPANHA

Fonte: VOGUE Espanha.
Tradução & Adaptação: Katherine Langford Brasil.
Não copie e/ou reproduza sem dar os devidos créditos!